madkonceptet

 

 

Zumba

O mundo numa dança

 

Cor. Ritmo. Festa. As surpresas da Zumba são infinitas. Baseada em músicas latinas e internacionais, é por muitos considerada um verdadeiro antidepressivo. Para conhecer melhor esta dança/sistema de fitness, seguimos os passos de uma instrutora portuguesa na Dinamarca. Deixe-se contagiar pela energia inesgotável de Irina Ohana.

 

Mais do que uma simples dança, Zumba tornou-se num enorme sucesso em todo o mundo e numa parte inalienável da vida de muita gente. Que o diga Irina Ohana. Esta enérgica instrutora no “Fitness World” e “AOF” (ginásios em Copenhaga, red.) é peremptória: «Zumba mudou a minha vida. É uma alegria, uma liberdade, uma parte de mim!» E prossegue: «Conheço muitas pessoas que dizem o mesmo. Lembro-me de um caso de uma aluna que me vinha sempre agradecer. Afirmava que vinha às minhas aulas para “recarregar” energias e esquecer os seus problemas. Comigo, sentia-se livre. Hoje tenho conhecimento que tem um cancro no cérebro.»

Mas afinal o que é a Zumba? Criada nos anos 90 pelo dançarino e coreógrafo colombiano Alberto “Beto” Perez, consiste numa mistura de dança (70% de ritmos latinos e do mundo; 30% de outro tipo – rock, hip hop, reggae, fandango, etc) e aeróbica. Conforme salienta Irina Ohana: «A diferença entre Zumba e outros tipos de ginástica está na diversidade, na alegria da música e na possibilidade de implementar vários exercícios na dança – ou seja, esconder exercícios na dança (...) Numa aula bem estruturada, o/a aluno/a vai perder muito peso e ganhar muito músculo.»

 

«Até as pestanas vão ganhar músculo»

 

Três, dois, um...a classe de Zumba vai começar. «O que sentes neste momento?» Irina Ohana responde prontamente à nossa questão: «Uma alegria imensa. A energia é indescritível e viciante. As minhas coreografias são muito bem planeadas. Encontro inspiração nas músicas. Sei rapidamente que têm o ritmo necessário.» E acrescenta: «As minhas aulas têm uma duração de 55 minutos. Em 55 minutos, o meu relógio marca aproximadamente 1100 calorias (um aluno costuma ser cerca de 600 a 800). Faço todo o tipo de exercícios para o corpo inteiro...até as pestanas vão ganhar músculo. A maior parte das vezes estamos a trabalhar ao mesmo tempo os abdominais e os braços - ou até as pernas. A dança tem grande influência.»

Irina Ohana é actualmente uma das instrutoras em Copenhaga com mais alunos – cerca de 62 até 70. Quase mais de metade do que as suas colegas. «A razão do meu sucesso? Eu ADORO aquilo que faço e faço-o do coração. Pelo que ouço, é a minha alegria, loucura e o facto de as minhas aulas serem para matar. A minha alcunha é “The Terminator”», ressalva.

Além de ser instrutora de Zumba, é igualmente professora de “Retro Mix” e “Latin Mix”. «Essa formação é bem mais íntegra e difícil de tirar. Como me tinha cansado de ensinar “Retro Mix”, resolvi tirar ainda o curso de Zumba. Na minha opinião, é um curso sem muito valor, pois nem exame tem. Qualquer um pode tirar», refere. Considerada uma das melhores instrutoras de “Latin Mix”, tem grande aderência de alunos. Nas suas aulas, dinâmicas e divertidas, utiliza música de Cabo Verde, assim como “Kuduro” e “Kizomba”.

Uma combinação de energia contagiante, forte personalidade, profissionalismo inexcedível e preocupação sem limites pelos alunos...eis a chave do êxito de Irina Ohana. Conforme salienta: «A melhor recompensa é uma aluna dizer que tive impacto na sua vida - com a minha energia ou com o peso que perdeu.»

Palavras sábias ditas por uma instrutora fantástica. Apenas nos resta acrescentar: Zumba é o teu mundo, Irina. Um mundo pleno de festa. Cor. Ritmo. Beleza. Obrigada por partilhá-lo connosco.

Susana Costa Slemming:

«Zumba depende muito do instrutor»

Para percebermos melhor o que é a Zumba, fomos ao encontro de Susana Costa Slemming, uma das muitas alunas de Irina Ohana.

Susana Costa Slemming pratica Zumba há cerca de um ano. «Fui incentivada pela Irina para começar e tinha como objectivo perder peso e melhorar a minha condição física.» E prossegue: «Tenho que sublinhar que a Zumba depende muito do instrutor. A Irina é, a meu ver, uma das melhores, não só pela escolha das músicas e das coreografias ser perfeita, como também pela boa-disposição e energia. Nas aulas da Irina consegues perder entre 700 a 1000 calorias, o que é perfeitamente sublime!»

Quais são os benefícios da Zumba?, queremos saber. Susana Costa Slemming não tem dúvidas: «No meu caso, deixei de ter dores na coluna (que eram uma constante diária) e comecei a correr cinco quilómetros, sem acabar com a sensação de que ia morrer! Já para não falar do facto de me poder dar ao luxo de vestir roupa que não punha há dez anos. A Zumba não só melhorou a minha condição física, como também me abriu portas a outras modalidades que há um ano me eram completamente impossíveis.» E remata: «A Zumba tem uma componente social muito importante - o corpo ao movimentar-se ao som da música liberta endorfinas que nos deixam totalmente relaxados e felizes. Agora imagina, uma sala completamente cheia de pessoas super divertidas e alegres. Acredita que se gera uma energia absolutamente fantástica entre nós todos e que se criam boas amizades.»